1 de dezembro de 2020 08h37 - Atualizado em 1/12/2020 09h42

Polícia Federal do Amazonas deflagra 3ª fase da Operação Sangria com alvo no Governo

A ação cumpriu quatro mandados judiciais de busca e apreensão na sede da Susam e Governo

A Polícia Federal (PF) no Amazonas deflagrou, na manhã desta segunda-feira (30), a terceira fase da Operação Sangria que investiga possíveis práticas de crimes como pertencimento a organização criminosa, fraude a licitação, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro.  A ação cumpriu quatro mandados judiciais de busca e apreensão, expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Todos os mandados foram cumpridos em  Manaus.

De acordo com a assessoria da Polícia Federal, nesta fase da Operação, identificou-se que funcionários do alto escalão da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) favoreciam uma empresa investigada em contratos de licitação cujo objeto seria a aquisição de respiradores pulmonares. Toda a transação era sob orientação da cúpula do Governo do Estado.

Antes da abertura da referida licitação, a empresa investigada adquiriu parte dos respiradores pulmonares em outro Estado da Federação. Em ato contínuo, o próprio Governo do Amazonas trouxe, mediante transporte aéreo, os equipamentos adquiridos pela empresa, custeando o frete.

Com a chegada dos respiradores pulmonares em Manaus/AM, a empresa investigada, repassou-os à empresa comercializadora de vinhos. Em seguida, houve a dispensa de licitação. Os indiciados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de fraude à licitação, peculato, pertencimento a organização criminosa e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir pena de até 30 anos de reclusão.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Amazonas disse que está colaborando com as investigações.

Útimas notícias