16 de abril de 2021 10h04 - Atualizado em 16/04/2021 10h04

Gestores de Saúde terão que voltar à Aleam para novas explicações

Eles participarão de uma nova rodada de discussão sobre uma possível terceira onda

Sem explicar para os deputados estaduais o quantitativo de oxigênio, medicamentos e insumos para a saúde, como os ‘kits intubação’ que estão em falta no Brasil, os gestores das Secretarias de Saúde do Amazonas (SES-AM) e do município de Manaus (Semsa) terão que voltar à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Eles participarão de uma nova rodada de discussão sobre os preparativos do Estado para uma possível terceira onda da pandemia de Covid-19.

Cumprindo a promessa da primeira reunião, realizada no último dia 7 de abril, o deputado Wilker Barreto (Podemos) protocolizou o pedido de convocação dos gestores e obteve aprovação da Mesa Diretora. O parlamentar de oposição aguarda somente a data do segundo encontro, a ser realizada novamente pela Comissão de Saúde da Aleam.

“Na primeira Audiência, a SES e a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) não responderam nada sobre oxigênio e nem sobre os kits de intubação. Falaram só sobre a expansão de leitos. Estou preocupado com a terceira onda e percebo que o sistema público e privado de vários estados entrou em colapso. Não sabemos como está o estoque dos kits de intubação. Vamos deixar a tragédia chegar no Amazonas para se mexer? A Anvisa liberou a importação e nós estamos há cinco horas dos Estados Unidos”, afirmou.

Wilker também citou que o Amazonas não pode reviver uma “tragédia anunciada”. “As cenas da segunda onda ainda não saíram da cabeça do amazonense. O Brasil passa por muita dificuldade. Se existir essa terceira onda, desta vez não teremos o Brasil para nos socorrer. Peço que a Comissão de Saúde marque com urgência essa reunião”, solicitou.

Útimas notícias