4 de maio de 2021 13h27 - Atualizado em 4/05/2021 14h41

Análises da FVS-AM apontam maior risco de óbito entre mulheres hospitalizadas

Levantamento do órgão com pacientes internados indica maior risco para pacientes mulheres de Manaus

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) emitiu análises epidemiológicas que apontam fatores de riscos associados a óbitos por Covid-19. De acordo com o levantamento mulheres hospitalizadas apresentam o maior risco de morte por Covid-19. Cerca de 43.5% das mulheres internadas na rede hospitalar evoluíram para o óbito, contra 39% dos homens.

De acordo com o diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes, o risco de evoluir para óbito em mulheres aumenta com a idade. “Entre os pacientes hospitalizados por Covid-19, tiveram maior risco de evolução para óbito aqueles que apresentavam doenças de base”, disse.

Cristiano salienta que o risco de evolução para óbito foi de 58% maior entre os pacientes internados com Covid-19 que apresentavam alguma comorbidade. “Os cardiopatas, pacientes com diabetes, com pneumopatia ou doença hematológica apresentaram maior risco de evolução para óbito”, informou.

O assessor da Sala de Situação de Saúde da FVS-AM, Daniel Barros, destaca ainda que os pacientes de Manaus apresentaram maior risco de evolução para o óbito, quando comparados aos residentes do interior. “Outro achado encontrado no levantamento é que os pacientes que fizeram uso de suporte ventilatório invasivo tiveram risco aumentado em 2,8 vezes de evoluírem para óbito por Covid-19”, disse.

A FVS-AM mantém atualizados 11 painéis de monitoramento epidemiológico no site institucional que podem ser consultados em https://bit.ly/3tcq7oY. No mesmo endereço é possível informações ainda sobre Idosos, Grávidas e Puérperas, crianças menores de 1 ano, crianças e adolescentes, séries temporais, entre outros.

Medidas preventivas

Para evitar a exposição ao novo coronavírus, são essenciais as medidas não farmacológicas, como o uso da máscara de proteção facial, o respeito ao distanciamento mínimo entre as pessoas, a higienização das mãos com água e sabão ou com o uso de álcool em gel, e a adesão à vacina para os grupos prioritários.

Útimas notícias