16 de abril de 2020 07h56 - Atualizado em 16/04/2020 07h56

UEA ultrapassa marca de cinco mil protetores faciais produzidos

Equipamentos são confeccionados por alunos e professores e doados aos profissionais de saúde que trabalham no combate ao novo coronavírus
UEA ultrapassa marca de cinco mil protetores faciais produzidos - DIVULGAÇÃO
UEA ultrapassa marca de cinco mil protetores faciais produzidos - DIVULGAÇÃO
“Cada máscara produzida está salvando uma vida. E isto, nos faz ficar ainda mais firmes nesta missão”. A avaliação é da aluna do curso de Medicina, Tania Ramchandani, ao informar que a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) conquistou, nesta quarta-feira (15), a produção de mais de cinco mil protetores faciais em impressoras 3D em cerca de dez dias.
 
Os protetores faciais são distribuídos gratuitamente aos profissionais de saúde que trabalham no combate ao novo coronavírus (Covid-19).
 
Para Tania, a sensação é de contribuir de forma efetiva ao combate da pandemia. “É algo indescritível, que enche de orgulho a cada um de nós da equipe. A alma do nosso trabalho são eles, sem a dedicação e a paixão investida por eles nada disso seria possível”, mostra-se orgulhosa a estudante.
Tania Ramchandani, o engenheiro mecânico e professor da EST/UEA, Aristides Rivera Torres, e o discente do curso de engenharia elétrica da UEA, Ariel Amzalak Eremita, desenvolveram o projeto e apresentaram ao reitor da UEA, Cleinaldo Costa no dia 23 de março, após a UEA se colocar à disposição das autoridades de saúde do Amazonas para contribuir nas ações de combate ao novo coronavírus.
Hoje, os protetores faciais são confeccionados por cerca de 20 pessoas, entre professores e alunos dos cursos de Engenharia, Medicina e Direito na Escola Superior de Tecnologia (EST). No total, 20 impressoras 3D funcionam em regime de 24 horas na impressão de suportes complementares à máscara.
 
“Nos últimos dias, em especial, recebemos a doação de mais 20 impressoras de uma empresa. Entendemos que com a inserção do molde plástico ao processo, a fase de impressão de itens esteja próxima do fim e, desta forma, o nosso foco passará a ser a higienização”, explica Ariel .
 
Tania agradece que a equipe tem recebido apoio de empresários e amigos com doação de alimentação. “Além do apoio do Sr. José Renato Satiro Santiago Jr., da Fundação Universitas de Estudos Amazônicos (FUEA)”. E reforça o pedido para que a população “não saia de casa”. “Entendemos que o momento é de reduzirmos a quantidade de pessoas contaminadas pelo vírus. Outra questão importante é estarmos atentos as orientações dadas pelas autoridades de saúde, principalmente no que diz respeito aos cuidados a serem tomadas”, explica.
A expectativa da equipe é produzir dez mil protetores faciais que serão doados ao Governo do Estado do Amazonas.

Como surgiu o projeto? 

Os protetores faciais foram idealizados pela Lazuz, startup dos alunos Tania e Ariel, em fase de incubação pela UEA. O projeto tem duas etapas: uma de manufatura aditiva e outra de higienização com intuito inicial de equipar os voluntários internos de Medicina.
“O projeto tomou proporções inimagináveis e a parceria com a UEA se faz essencial ao sucesso do projeto. A atuação sinérgica entre estudantes e professores é algo muito importante e certamente trará resultados muito relevantes para a sociedade amazonense”, explica Ariel Amzalak Eremita.

Como doar?

A campanha “UEA Saúde Solidária” está ativa para receber doações e ajudar a produzir equipamentos de proteção. Os equipamentos são máscaras, aventais e ventiladores para respiração e os mesmos serão doados aos hospitais, médicos e enfermeiros que estão no combate ao Coronavírus.
A doação é realizada via depósito no Banco do Brasil, Agência: 3563-7, Conta Corrente: 30132-9, CNPJ: 26.782.757/0001-78

Útimas notícias