13 de fevereiro de 2019 10h58 - Atualizado em 13/02/2019 10h58

Senado não deve criar nova comissão de segurança pública

A afirmativa é do presidente do Senado, Davi Alcolumbre em entrevista
imagem_materia

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, anunciou nesta quarta-feira (13) que uma nova comissão permanente, específica para tratar de segurança pública, não deverá ser criada na Casa. Um projeto de resolução para criação do colegiado (PRS 39/2017) havia sido apresentado por Elmano Ferrer (Pode-PI). Davi ressaltou, porém, o sentimento de racionalização do gasto público que está presente nesta nova legislatura.

Vamos discutir na Mesa Diretora, mas o sentimento é de não criar mais uma comissão. A sugestão é muito válida, mas o sentimento da Casa é enxugar a máquina do Senado. Então, neste primeiro momento, não há o desejo de se criar mais uma comissão, mas vou colocar o desejo dele [de Elmano] para a Mesa Diretora”, disse em entrevista.

O projeto de resolução aguarda análise na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). O presidente do Senado não descartou a criação de uma subcomissão, no âmbito da CCJ, para tratar do tema.

Presidências

Nesta manhã, Davi e os líderes partidários estão reunidos para definir a composição das comissões permanentes e, assim, iniciar o processo que ele classificou anteriormente como “aclamação” dos presidentes dos colegiados. O esforço vem sendo feito para garantir a proporcionalidade, com harmonização de forças partidárias. O presidente suspendeu até mesmo a ordem do dia do Plenário, que estava prevista para as 16h.

Os partidos e os blocos devem estar reunidos pela manhã para, a partir de agora, indicarem os membros. As comissões que tiverem a maioria da sua composição já indicada, ainda hoje será feita a eleição” disse à imprensa ao chegar ao Senado.

Davi destacou o entendimento nesse encaminhamento, para uma composição que pudesse harmonizar o Senado, inclusive com a determinação dos vice-presidentes de algumas comissões, sempre com o objetivo de retomar o rito natural dos trabalhos.

Nesse sentido, acho que quem ganha é a Casa, para o Senado começar a trabalhar. Porque para se votar as matérias no Plenário é importante que as comissões produzam, que possam voltar às suas atividades normais”, citou.

Reformas

Davi Alcolumbre mais uma vez destacou o compromisso que disse notar, em todos os parlamentares, de votar as reformas necessárias para estabilizar o país, como a da Previdência, ou projetos importantes, como o pacote anticrime encaminhado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro.

Temos muita especulação em relação a isso, mas o sentimento da Casa em relação à reforma da Previdência é muito positivo, porque todo mundo compreende que os estados estão quebrados, os municípios estão necessitados e o governo federal precisa dar para o Estado brasileiro uma nova alternativa, um novo caminho. E a reforma da Previdência é fundamental para diminuir distorções e desigualdades e fazer do Brasil um país mais justo”, disse.

Útimas notícias