4 de janeiro de 2021 09h21 - Atualizado em 4/01/2021 09h22

Saiba onde e quando procurar atendimento médico em caso de suspeita de Covid-19

Pacientes com suspeita de coronavírus, apresentando sintomas leves, devem procurar as Unidades Básicas de Saúde

Com o crescimento dos casos de Covid-19 no Amazonas, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) orienta a população sobre quais unidades de saúde procurar atendimento se surgirem sintomas da doença. Pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus, apresentando sintomas leves, devem procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Na capital, os estabelecimentos são administrados pela Prefeitura de Manaus.

Encaixa-se no perfil de atendimento de UBS, por exemplo, paciente que não esteja com dificuldade de respirar ou falta de ar, e nem como pressão baixa, que são considerados sintomas graves da Covid-19 (e geralmente associados a outros sinais, como febre, tosse e dor de garganta, por exemplo).

Os sinais e sintomas de Covid-19 e outras síndromes gripais mais comuns, que são alerta para procurar assistência médica em UBS, são febre, tosse, coriza, dor de garganta, congestão nasal, produção de escarro e dificuldade para deglutir (engolir).

Os estudos sobre a doença desenvolvidos até aqui mostram que, em média, os primeiros sintomas começam aparecer entre os dias 5 e 7 dias após a infecção. E, em 55% dos casos, nesses primeiros dias, esses sinais são leves ou moderados. Por isso, nessa fase é importante procurar assistência médica para evitar o agravamento da Covid-19.

A Prefeitura de Manaus possui 18 UBSs destinadas para o atendimento exclusivo de pacientes com suspeita de Covid-19. O endereço desses estabelecimentos pode ser acessado via Internet, no site da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), no link: https://semsa.manaus.am.gov.br/sala-de-situacao/novo-coronavirus/locais-de-atendimento/.

Rede de urgência e emergência 

A SES-AM ressalta que o paciente deve se dirigir a unidades do Estado (rede de urgência e emergência) quando estiver apresentando sinais de gravidade da doença. Alguns desses sintomas são: saturação de oxigênio menor que 95%, dispneia (falta de ar) e hipotensão (baixa pressão).

A rede de urgência e emergência da SES-AM em Manaus com porta aberta para atender pacientes graves com suspeita de Covid-19 e outras síndromes gripais é composta por 24 unidades, entre prontos-socorros, maternidades e serviços de pronto atendimento.

Pacientes graves têm prioridade 

Para evitar que algumas unidades sejam mais demandadas que outras, a SES-AM pede que a população fique atenta às informações sobre o perfil de atendimento de cada unidade da rede estadual. Isso porque há protocolos de assistência específicos para cada nível de complexidade e perfil de paciente.

Grandes unidades, como os HPS 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo, por exemplo, são voltadas para atendimento de emergências, com pacientes que correm risco de morrer se não foram atendidos nos primeiros minutos após a entrada.

Desta forma, neste tipo de unidade, os pacientes sempre terão prioridade sobre os demais que não apresentam sinais ou sintomas graves, e sem risco iminente de morte.

Casos graves e hospitais de referência 

Os casos graves de Covid-19 que dão entrada na rede de urgência e emergência do Estado, por indicação médica, podem ser transferidos para unidades de referência via Sistema de Regulação (Sister).

A principal unidade de referência no Amazonas é o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona Norte de Manaus. No entanto, a rede de urgência e emergência da SES-AM tem unidades de referência para o tratamento de Covid-19 para cada perfil de pacientes.

Para pacientes grávidas, por exemplo, os casos graves são referenciados para a Maternidade Ana Braga, na zona Leste de Manaus. Enquanto crianças que necessitarem de atendimento com maior complexidade são transferidas para o Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam).

 

Útimas notícias