7 de maio de 2019 13h44 - Atualizado em 7/05/2019 13h45

Promotorias de Saúde investigam demora na fila de exames na rede pública

De acordo com o SISREG existem 8.665 pessoas aguardando autorização para o exame de ultrassonografia há quase dois anos

O Ministério Público do Amazonas investiga por meio de Inquérito Civil, as causas da demora para a realização de exame de ultrassonografia com doppler venoso na rede pública de saúde e a indisponibilidade do exame de angiotomografia TC de tórax. O inquérito foi instaurado na segunda-feira (6) e é decorrente do Procedimento Preparatório que apura a denúncia de suposta demora para a marcação dos exames na rede estadual de saúde.

De acordo com informações obtidas junto ao SISREG pela Promotora de Justiça Silvana Nobre, titular da 58ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa dos Direitos Humanos à Saúde Pública, existem 8.665 pessoas aguardando autorização para o exame de ultrassonografia com doppler venoso, cuja realização vem demorando quase dois anos. A investigação constatou, ainda, que o exame de angiotomografia TC de tórax, que integra a tabela de serviços cobertos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sequer vem sendo oferecido pelo sistema de marcação online de exames e consultas.

O fim do prazo para instrução da notícia e a necessidade de utilização de meios mais eficazes de investigação, levaram à instauração do inquérito, cujo objeto é apurar as causas e circunstâncias que permeiam a formação de demanda reprimida para o exame de Ultrassonografia com Doppler venoso, bem como a ausência de disponibilidade para o exame de Angio TC na rede de saúde pública estadual.

Útimas notícias