13 de junho de 2018 15h21 - Atualizado em 14/06/2018 14h05

Projeto “Zona Azul” começa a funcionar a partir do dia 30 no Centro de Manaus

O projeto prevê a cobrança de taxa de 1.700 vagas de estacionamento na área central da cidade
13-06-2018 - Prefeitura anuncia Zona Azul com redução no preço e isenção para moradores do Centro. Foto - Divulgação (1)

A partir do dia 30 de junho começa a funcionar o sistema de estacionamento rotativo Zona Azul, no centro de Manaus. A medida já terá a cobrança de taxa e vai ordenar o fluxo de veículos estacionados na área.

A principal mudança é a redução no preço da taxa, que cai de R$ 3 para R$ 2,45. Haverá também a isenção aos moradores da área e tarifa especial, com desconto de 50%, aos comerciários que trabalham nas lojas das áreas limites ao Zona Azul.

O prefeito Arthur Neto determinou que as modificações. “Fizemos essas mudanças para beneficiar os moradores do Centro e quem trabalha na área central da cidade e precisa de estacionamento todos os dias”, explicou o prefeito, referindo-se aos valores diferenciados e às isenções para moradores.

De acordo com o diretor Operacional do Consórcio Amazônia, Guilherme do Amaral Rocha, foram estabelecidos critérios que devem ser seguidos, tanto pelos moradores como pelos comerciários, para que possam usufruir dos benefícios. Foi estipulado um veículo por trabalhador e um por residência, sendo necessária atualização cadastral, trimestralmente.”

No caso dos moradores, é preciso apresentar cópia de identidade e comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone, não superior aos últimos 90 dias). Para quem aluga imóvel, se não houver conta de consumo, deve apresentar cópia do contrato de locação. Em ambos os casos, é preciso apresentar, também, cópia autenticada do certificado de propriedade do veículo. 

No caso dos trabalhadores, os documentos exigidos são: comprovação da condição de comerciário, bancário ou prestador de serviços naquela área da cidade, por meio de uma declaração da empresa em que atua; cópia da Carteira de Trabalho; e cópia autenticada do certificado de propriedade do veículo. Os documentos devem ser apresentados na sede do Consórcio Amazônia, na avenida Leonardo Malcher, Centro, próximo ao Sebrae.

As vagas para os moradores serão nas ruas que circundam o quarteirão da residência ou que estejam na divisa deste. A casa que estiver instalada em área destinada ao estacionamento para comerciários e profissionais que trabalham no Centro, mesmo nesses locais, o morador terá a isenção do pagamento da taxa, respeitando o perímetro estabelecido. 

As vagas para os comerciários serão disponibilizadas dentro dos limites do sistema Zona Azul, em dois setores perimetrais, que envolverão deslocamento de aproximadamente 500 metros, para que se dirijam até o local de trabalho. Nas vagas para moradores e trabalhadores do Centro não será aplicado o tempo limite de ocupação, que é de três horas, para os veículos em geral. Os que estiverem cadastrados, portanto, ficam livres da rotatividade.

O projeto

O Zona Azul foi implantado no dia 17 de janeiro e, até o momento, vinha funcionando apenas em caráter educativo, sem cobrança de taxa. O sistema irá operar, inicialmente, com 1.700 vagas de estacionamento. As vagas estarão disponíveis na avenida Eduardo Ribeiro e nas ruas 10 de Julho, Barroso, Henrique Martins, Rui Barbosa, 24 de Maio, Costa Azevedo, Marçal, Dona Libânia, Monsenhor Coutinho, Tapajós, Lobo D’Almada, Joaquim Sarmento, José Clemente, Ramos Ferreira, Frei Lourenço e Ferreira Pena.

O pagamento pode ser feito por meio do portal www.zamanaus.com.br ou pelo aplicativo “Zona Azul”, disponível gratuitamente nas lojas Google Play ou Apple Store. A concessionária do sistema está também firmando parceria com os lojistas do Centro, para habilitar alguns pontos de vendas de créditos. 

O Zona Azul irá funcionar de segunda-feira à sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, de 8h às 17h. No domingo não haverá cobrança pelo sistema. O valor cobrado, de segunda a sábado, será de R$ 2,45 a cada hora. 

As vagas para os comerciários estarão centralizadas nos seguintes locais: avenida Joaquim Nabuco e suas travessas, até a avenida Getúlio Vargas (ruas Lauro Cavalcante; Huascar de Figueiredo, 24 de Maio, 10 de Julho e Ramos Ferreira); rua Luiz Antony e suas travessas, até a rua Epaminondas (ruas Simão Bolívar, Ramos Ferreira, Monsenhor Coutinho, 10 de Julho, Padre Estélio Dalison, Travessa Padre Ghisland, Frei José dos Inocentes, Bernardo Ramos, Avenida Sete de Setembro, Visconde de Mauá, Governador Vitório e Tamandaré).

 

Útimas notícias