11 de janeiro de 2019 09h12 - Atualizado em 11/01/2019 09h12

Projeto prevê socialização de internas da Penitenciária Feminina de Manaus

Oito internas iniciaram a primeira etapa do projeto "Costurando a Liberdade"
detentas

A primeira etapa do projeto “Costurando a Liberdade” da Penitenciária Feminina de Manaus (PFM) reuniu oito internas na quinta-feira (10). A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) tem como objetivo gerar capacitação para as internas na produção de cortes, costuras e confecções de roupas íntimas, estimulando o trabalho e geração de renda.

As máquinas de costura são fornecidas, em parceria, pela Pastoral Carcerária, que disponibiliza instrutores capacitados que estimulam a linha de produção, visto que, por ser um projeto autossustentável, o valor arrecadado na venda das peças vai para a compra dos materiais necessários. O projeto visa a expansão conforme sua própria demanda, incluindo o número de apenadas. A seleção das participantes é avaliada a partir do comportamento delas na unidade prisional e do bom convívio com as demais internas e agentes colaboradores.

Remição de Pena

Além de capacitar as detentas para o trabalho de corte e costura, o novo projeto proporciona todos os conhecimentos necessários e dá a oportunidade de remição da pena, pois a cada três dias trabalhados é menos um dia no cumprimento da mesma. É de extrema importância também após o recebimento do alvará de soltura, pois as atividades realizadas contribuem para a melhoria das internas na aproximação com o cotidiano. O programa garante a inserção delas no projeto “Reintegrar Banco do Povo”, onde poderão aproveitar o conhecimento adquirido para ter acesso ao Microcrédito da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (AFEAM) e ao Empreendedorismo.

O desenvolvimento do projeto tem a intenção de suavizar os impactos negativos causados nas apenadas, proporcionando a oportunidade de ressocialização após seu retorno ao convívio em sociedade.

Útimas notícias