19 de setembro de 2018 15h01 - Atualizado em 19/09/2018 16h21

Operação “666” prende dupla suspeita de integrar rede de prostituição em Manaus

De acordo com a Polícia Civil, ambos foram citados nos depoimentos de um empresário também ligado à rede
WhatsApp Image 2018-09-18 at 15.50.13

A Polícia Civil do Amazonas deflagrou na manhã desta terça-feira (18), a operação “666”, que resultou na prisão temporária em nome do comerciante Raimundo Alves do Vale Filho, 52, e Ana Cássia da Silva Bentes, 23. Ambos são suspeitos de integrarem uma rede de prostituição que atuava na cidade de Manaus. A ação foi coordenada pela delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Ana Cássia foi presa na casa dela, situada na travessa Brasil, Comunidade Parques das Nações, bairro Flores, zona centro-sul. Já Raimundo, foi preso na avenida Mirra, segunda etapa do Loteamento João Paulo, bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

Investigação

A prisão dos infratores é um desdobramento do caso de estupro de vulnerável e favorecimento da prostituição ou exploração sexual envolvendo o empresário Fabian Neves dos Santos, 37, e de uma mulher de 28 anos, que é tia de uma adolescente de 13 anos que foi uma das vítima do bando. “Em relação a esse determinado caso, a adolescente foi ouvida e durante o depoimento ela passou a citar outras possíveis vítimas. Continuamos as investigações, representei à Justiça pela quebra dos dados telefônicos e a investigação prosseguiu até que culminou com as prisões de realizadas hoje”, disse a delegada.

No decorrer das primeiras diligências, que culminou nas prisões de Fabian e da tia da adolescente, Ana Cássia e Raimundo foram citados durante os depoimentos. De acordo com Joyce Coelho, Ana Cássia seria uma segunda agenciadora e Raimundo seria, também, um dos clientes dela e da tia da adolescente de 13 anos. “Na ocasião das prisões de Fabian e da tia da adolescente, foram apreendidos os aparelhos celulares dos dois infratores, onde representamos pela quebra dos dados telefônicos que guardava imagens e conversas dos infratores. Ana seria amiga e sócia da tia da menina de 13 anos, ou seja, responsável por aliciar adolescentes para a prostituição. Já Raimundo, assim como Fabian, era cliente das infratoras”, pontuou a delegada.

Joyce Coelho informou que na casa de Ana Cássia foram apreendidos dois computadores e dois celulares. Em posse de Raimundo também foram apreendidos dois celulares, que serão enviados para análise. A delegada disse, ainda, que o nome dado à operação intitulada “666”, faz menção à senha utilizada por Fabian Neves no celular dele.

Relembre o caso

No dia 7 de agosto deste ano, o empresário Fabian Neves dos Santos foi preso em flagrante por estupro de vulnerável praticado contra uma adolescente de 13 anos. A tia da vítima, uma mulher de 28 anos, também foi presa por envolvimento na prática criminosa. Na ocasião, policiais da Depca resgataram a garota em motel localizado na avenida Elias Ramiro Bentes, bairro Colônia Terra Nova, zona norte da capital.

Raimundo e Ana Cássia serão indiciados por estupro de vulnerável e favorecimento da prostituição. Os dois permanecerão na carceragem da Depca. Após os procedimentos cabíveis na especializada, Ana será encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e Raimundo será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), ambos situados no quilômetro oito da Rodovia Federal BR-174.

Útimas notícias

aniversario