12 de junho de 2019 11h33 - Atualizado em 12/06/2019 11h33

Nacional FC anuncia departamento de futebol feminino

Olavo Dantas será o especialista na modalidade junto com Ediglê Farias
002

O Nacional Futebol Clube deu um grande passo que marca seus 106 anos de tradição. O clube anunciou, através do presidente, Nazareno Pereira, a criação do departamento de futebol feminino, sob o comando do especialista na modalidade, Olavo Dantas e do coordenador de base do Naça, Ediglê Farias.

O mandatário do clube ressalta a história do clube e quer valorizar atletas locais e incentivar a prática da modalidade. “O Nacional Futebol Clube é um dos clubes mais tradicionais do Brasil. Nós nos sentimos na obrigação de valorizar todo e qualquer esporte. Infelizmente não temos as condições, mas, aos poucos chegaremos lá. O futebol feminino é muito mais que uma modalidade, por isso, queremos valorizar as atletas locais e dar a oportunidade a essas garotas”, destaca.

Confiante, Nazareno conta que ele acredita no sucesso do projeto, uma vez que tem a frente um dos mais reconhecidos profissionais da modalidade, Olavo Dantas e multicampeão, Ediglê Farias.

“O Olavo é uma pessoa conhecida. Ele sabe o que faz, assim como o Ediglê que é nosso coordenador de base. Dois profissionais que vão conduzir o projeto e nós acreditamos no sucesso do trabalho, não só pela experiência que carregam, mas pela seriedade e comprometimento”, elogia.

Com mais de 10 anos de experiência de trabalho diretamente com futebol feminino, Olavo Dantas, chega no Nacional com bagagem. Ele revela quais suas expectativas com a camisa do Leão.

“Nossa expectativa é formar um grande grupo, que nós possamos dar continuidade ao trabalho a longo prazo, quem sabe posteriormente ter uma categoria de base”, afirma.

Olavo é um dos fundadores do Esporte Clube Iranduba, sabe qual caminho percorrer, mas ele já adianta que tem muito chão pela frente, principalmente que no momento, o clube ainda não tem jogadoras e nem a comissão técnica, o que deve ser anunciado nas próximas semanas.

“Nós temos dois clubes muito tradicionais na cidade, o EC Iranduba da Amazônia e a Associação Esportiva 3B da Amazônia, então, a gente sabe que hoje para chegarmos perto, vamos ter que trabalhar muito, mas é o início de um trabalho, o clube tem uma estrutura muito boa, recurso e teremos tempo para captação dos talentos, as seletivas e estamos abertos a indicações”, garante.

Experiência com futebol não vai faltar, o idealizador do projeto, Ediglê Farias traz no currículo títulos que muitos atletas sonham conquistar, como Mundial em 2006. O ex zagueiro e agora coordenador de base do Naça, conta que de onde surgiu a ideia.

“Pelo tamanho do Nacional e pelo que o clube representa dentro do estado é uma modalidade que estava faltando, o futebol feminino, e quando eu levei o projeto para o presidente, ele viu com bons olhos. Mas acredito que esteja passando até da hora, afinal, o clube tem que seguir os passos dos grandes exemplos que a gente tem no estado que é do Iranduba e 3B, mas sempre dando oportunidade às atletas amazonenses”, avalia.

Apoiadora

Com o trabalho voltado ao público feminino, uma empresa fez questão de mostrar seu apoio ao projeto do Naça, o Studio Marcia Xavier de Beleza. A proprietária, Marcia Xavier, ressalta a importância do futebol feminino para o empoderamento da mulher.

“Tem muita mulher que sonha ser jogadora de futebol, mas que ainda sofre com o preconceito de que é profissão de homem. Muitas conseguem chegar ao profissionalismo e mostram às demais que é possível, por isso, é de grande importância esse projeto do Nacional e nós apoiamos porque acreditamos que toda mulher tem capacidade para ser o que quiser, sem perder sua vaidade, sua feminilidade”, afirma.

Útimas notícias