11 de setembro de 2019 17h33 - Atualizado em 11/09/2019 17h33

Hemoam registra um novo caso de câncer infantil por semana

As leucemias e os linfomas estão entre os tipos de câncer mais comuns na faixa etária de 0 a 18 anos
AAB_5993sino da curasino da cura (1)

Dados do Departamento de Atendimento ao Paciente da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) aponta que, de janeiro a agosto deste ano, no Amazonas, foram registrados 31 novos casos de câncer infantojuvenil. A média é de um caso por semana.

As leucemias e os linfomas estão entre os tipos de câncer mais comuns na faixa etária de 0 a 18 anos. As estatísticas consideram apenas os atendimentos realizados pelo Hemoam, via Sistema Único de Saúde (SUS).

Ainda não há estudos que definem as causas da leucemia e dos linfomas em crianças e adolescentes. No entanto, a identificação da doença ainda no estagio inicial é a melhor prevenção da morte dos pacientes.

Pensando nisso, no mês de setembro, no Brasil, os órgãos de saúde que atuam no tratamento do câncer adotaram a cor dourada como forma de conscientizar para o diagnóstico precoce, cuidados e, consequentemente, aumentar as chances de cura do câncer em crianças e adolescentes. A proposta é deixar um alerta para os pais e responsáveis sobre os sintomas que podem aparecer a qualquer momento independentemente de precedentes.

Sintomas

Por ser considerado um câncer líquido, com origem na medula óssea, onde são produzidos todos os componentes do sangue como as hemácias, plaquetas e os leucócitos, é importante combater o quanto antes as células leucêmicas que podem rapidamente ocupar o espaço da medula e diminuir drasticamente a produção dos componentes do sangue.

“Quando ocorre a ocupação da medula pelas células cancerígenas as consequências são em geral o aparecimento de manhas roxas, parecidas com hematomas, febre constante, sangramentos, dores ósseas, caroços e inchaços visíveis na região do abdômen, perda de peso, sonolência e vômito”, pontuou a médica ao listar os sintomas mais comuns.

Quando há o aparecimento dessas ocorrências é necessário que os pais ou responsáveis estejam atentos e procurem ajuda profissional. “Um simples hemograma pode indicar a existência da leucemia”, orientou.

Quimioterapia x transplante

O Tratamento das leucemias e dos linfomas é realizado principalmente com quimioterapia. A administração dos quimioterápicos é a prioridade e apresentam maior taxa de cura na maioria dos casos, de acordo com Socorro Sampaio. As chances de cura com a quimioterapia variam de 50% a 90%, dependendo do caso.

“O transplante de medula é indicado como alternativa quando o organismo do paciente não responde positivamente à quimioterapia. As chances de cura com o transplante de medula óssea chegam a 60%”, avaliou a hematologista pediatra.

Dados Gerais

– De janeiro de 2018 a agosto de 2019, o Hemoam realizou 2.314 – atendimentos onco-hematológicos infanto-juvenil.

– Foram atendidas 213 crianças com câncer, com faixa etária média de 7,5 anos;

– De janeiro de 2018 até hoje, 88 casos novos foram atendidos pelo SUS.

Ocorrência por faixa etária:

  • Menor que 1 ano = 6 pacientes (2,69%)
  • De 1 a 9 anos = 123 pacientes (55,15%)
  • 9 a 18 anos = 84 pacientes (37,67%)

Útimas notícias