16 de maio de 2019 08h51 - Atualizado em 16/05/2019 08h51

Greve da educação completa um mês no Amazonas sem previsão de acordo

Manifestações foram registradas em todo o país pelo corte dos recursos anunciado pelo Ministério da Educação
Manifestantes foram às ruas para protestar o corte nos recursos da Educação. Foto: Tawanne Costa/Divulgação
Manifestantes foram às ruas para protestar o corte nos recursos da Educação. Foto: Tawanne Costa/Divulgação

A greve da educação continua, já são mais de um mês  de greve da educação no Amazonas. Nesta quarta-feira à noite, cerca de duas mil pessoas, entre alunos e professores da Universidade Federal do Amazonas, protestaram, no Centr, contra o corte na Educação, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC).

Nesta quarta-feira pela manhã, cerca de 200 pessoas participaram do ato que adere ao movimento nacional das universidades federais que tiveram corte de 30 por cento dos recursos.  Os atos também ocorrem nas unidades de ensino do interior do estado.

Os protestos aderem ao dia marcado por movimentos em todo o país contra a medida do governo Bolsonaro. Em todo os estados do norte, aproximadamente 150 mil alunos, trabalhadores e professores fizeram parte do manifesto. O ministro Abraham Weintraub diz que MEC está aberto ao diálogo com reitores.

Útimas notícias