10 de janeiro de 2020 16h24 - Atualizado em 10/01/2020 16h24

Goleiro da base do Nacional, José Victor afirma que vive um sonho

O atleta foi destaque do time durante a participação do time na Copinha 2020
FOTO João Normando

O Nacional foi eliminado na Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha na tarde de quinta-feira (9) após ser derrotado por 4 a 1 pelo RB Brasil. Mas, o destaque da partida foi o goleiro do Leão, José Victor de apenas 19 anos. Em tom de gratidão ele afirma que o “Nacional me ajudou a realizar um sonho”.

Como a maioria dos aspirantes o atleta também queria fazer gols, mas foi debaixo das traves que ele mostrou suas habilidades, superando não apenas as dificuldades do mundo da bola, como também a baixa estatura para ser um goleiro. Ele mede 1,74m.

Questionado sobre o resultado, o arqueiro faz questão de explicar que perderam no jogo, mas ganharam experiência sem igual e em tom de gratidão, ele exalta o clube, comissão técnica e seus companheiros. 

“Acreditávamos na classificação e tínhamos chances contra o RedBull, mas infelizmente enfrentamos uma equipe muito forte fisicamente e tecnicamente. Mas, acredito que o resultado dentro de campo, não mostra exatamente como saímos. Estamos de cabeça erguida, consciente que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance. A experiência que adquirimos alí, levaremos para toda a vida. O Nacional me ajudou a realizar um sonho que foi disputar uma Copa São Paulo de Futebol Júnior. Toda a minha gratidão ao professor Raphael Perrone que me deu a honra de defender esse manto, ao professor Ribamar que acreditou no meu trabalho, aos meus companheiros que, assim como eu, não deixaram de acreditar um minuto que seria possível e também estão felizes e realizados. Espero poder continuar vestindo essa camisa. Este é só o começo”, afirmou. 

Sobre a experiência de disputar a maior competição de base do país, por onde passaram grandes craques que marcaram a história do futebol brasileiro e também fizeram nome pelo mundo, ele fala com a mesma maturidade que defende seu gol. 

“A Copinha é uma competição de base muito disputada e difícil, pois reúne não apenas garotos que foram criados e alguns já vivem do futebol, mas vemos ali os sonhos de todos. É uma competição onde estão as melhores bases do mundo, atletas de alto nível mesmo. O nosso grupo era muito forte, sabíamos disso desde o começo. Trabalhamos para chegar aqui preparados, mas a realidade é totalmente diferente, quando se compara os outros estados ao nosso… mas tenha certeza, saímos de cabeça erguida, pelos adversários que tínhamos pela nossa frente, conseguimos ter um resultado positivo de uma vitória contra o Velo Clube, a equipe da casa. Estamos orgulhosos e hoje sou gratidão a quem torceu e jogou com a gente”, finalizou. 

A delegação azulina retorna a Manaus na madrugada de sexta-feira (10) para sábado (11). 

Útimas notícias