10 de maio de 2016 12h25 - Atualizado em 10/05/2016 12h25

Dia histórico: Rádio Difusora do Amazonas assina migração de AM para FM

Após modular por 67 anos em AM 1180, nova FM 93.7 começa a operar em até 120 dias
assinatura Difusora (Copy)

A Rádio Difusora do Amazonas assinou nesta terça-feira (10), em Brasília, o ato de migração das rádios AM para FM. O documento simboliza um avanço na história da emissora que esta ano completa 68 anos. Representada pela diretora administrativa Maria do Carmo Xerez de Souza Miranda, a Difusora AM passa a ser FM em frequência 93.7. A previsão é que oficialmente entre no AR em até 120 dias.

A cerimônia de assinatura dos atos ocorreu no auditório do Ministério das Comunicações, na presença do ministro André Figueiredo. Outras 51 rádios participaram da solenidade. Essas emissoras, de todas as regiões do Brasil, já estão aptas a começar a transmitir a programação na faixa de FM. Ao todo, 1.386 das 1.781 emissoras AM do País pediram para fazer a mudança de faixa.

Em Manaus, apenas a Difusora e a rádio Baré foram contempladas com a autorização do ato de migração no primeiro sorteio.

“A migração começou com o desligamento das TVs analógicas que também eram um gargalo que enfrentávamos naquele início de nossos trabalhos. Muito obrigado a todos vocês de emissoras de rádio, o trabalho é nosso. É ilusório achar que rádio AM, em tempos atuais, tenham lucratividade. A partir de agora, as emissoras AM merecem o respeito por terem construído uma história de muitas muitas décadas dentro da radiodifusão”, disse o ministro.

6cd5fca1ff0cccc4d04f0f4192d748b2A diretora administrativa da Difusora, Maria do Carmo Miranda celebrou a modificação e as transformações que a emissora acompanha da radiodifusão. “Estamos comemorando mais este avanço que conquistamos. A frequência AM 1180 iniciou a história da Rádio Difusora nos colocou nos lares amazonenses de todo o Amazonas e nos colocou na cultura, economia, política e nos consolidou com o Esporte, que até hoje utilizamos para transmissão”, ressaltou.

O prazo dado pelo Ministério das Comunicações é para o funcionamento em até 120 dias. O ministro André Figueiredo também entrou para a história. Em uma gestão de 7 meses ele conseguiu fechar o ciclo de migrações.

 

Útimas notícias