11 de junho de 2019 16h13 - Atualizado em 11/06/2019 16h13

Defesa Civil do Amazonas divulga balanço da 1ª fase da Operação Enchente 2019

Mais de 8 milhões foram investidos em insumos só nesta primeira fase da Operação em cidades do AM
WhatsApp Image 2019-06-11 at 17.05.22

A Defesa Civil do Amazonas atendeu na primeira fase da Operação Enchente 2019 um total de 15 municípios das calhas do Juruá, Purus e Madeira. Ao todo, 13.436 famílias foram atendidas com ajuda humanitária, que contempla: cestas básicas, kits higiene, kits com redes, lençóis e mosqueteiros, kits de limpeza, colchões, jogos de cama, travesseiros e 92 purificadores de água do projeto Salta-Z. Mais de 8 milhões foram investidos em insumos só nesta 1ª fase.

Os municípios em situação de emergência atendidos na primeira fase da operação Enchente, por suas respectivas calhas, foram: Calha do Juruá – Eirunepé, Guajará, Ipixuna, Carauari, Juruá e Itamarati; Calha do Purus – Boca do Acre, Lábrea, Canutama, Tapauá; e Calha do Madeira – Humaitá, Novo Aripuanã, Manicoré, Borba e Nova Olinda do Norte. Na Calha do Madeira, o total de pessoas afetadas pelas enchentes foi de 51.717. Na Calha do Purus foi de 16.118 e na do Jurá foi 51.407. 

O governador do Estado, Wilson Lima, destacou que o Governo iniciou o planejamento para atendimento das comunidades atingidas pela cheia ainda em janeiro, envolvendo diversas secretarias, o que possibilitou auxiliar mais cedo as populações dos municípios afetados. “A nossa preocupação foi se antecipar às ações necessárias para amenizarmos os problemas enfrentados pelas famílias nesse período, na cheia e também na vazante. Queremos garantir condições sanitárias para que as famílias superem com dignidade esse período do ano”.

Água potável

A grande inovação deste ano e que foi possibilitada pela atual gestão foi a inclusão dos purificadores de água de consumo coletivo do projeto Salta-Z, que foram entregues aos 15 municípios contemplados na primeira fase da Operação Enchente. Na segunda fase, serão instalados aproximadamente 200 purificadores nas comunidades mais afetadas, contribuindo na melhoria da saúde e qualidade de vida dessas famílias.

O sistema Salta-Z foi desenvolvido por servidores da Funasa e também segue o princípio de sustentabilidade, utilizando materiais ecologicamente corretos. Outra vantagem é que o equipamento custa cerca de 25% menos que os modelos tradicionais.

O sistema, que purifica água com tecnologia totalmente brasileira, é considerado uma solução inovadora pela capacidade testada, comprovada e certificada pela Funasa, em purificar água imprópria em água potável. Além de simples, o Salta-Z consegue atender a necessidade de consumo, para beber e cozinhar, de mil pessoas por dia.

O material utilizado para que a água se torne própria para consumo é o cloro na composição de compostos clorados (hipoclorito de cálcio e hipoclorito de sódio – líquidos, granulados ou pastilhas), podendo ter a opção do cloro orgânico.

Dos 61 municípios amazonenses, 40 têm problemas na provisão de água potável, que vão da precariedade do controle operacional e manutenção até a falta de controle de qualidade na distribuição da água para as comunidades mais isoladas.

A 2ª fase da Operação Enchente está em processo de preparação e resposta e levará em breve a ajuda humanitária as famílias afetadas pela cheia.

Seguem abaixo os municípios que estão em situação de emergência ou em fase de decretação:

Calha do Alto Solimões: Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte.

Calha do Médio Solimões: Tefé, Jutaí, Uarini, Fonte Boa, Coari e Maraã.

Calha do Baixo Solimões: Anori, Anamã, Iranduba, Caapiranga, Manaquiri, Careiro da Várzea Careio Castanho e Manacapuru.

Calha do Baixo Amazonas: Parintins, Nhamundá, Barreirinha e Boa Vista do Ramos.

Calha do Purus : Beruri.

Útimas notícias