4 de dezembro de 2017 16h47 - Atualizado em 4/12/2017 16h47

Cultura LGBT+ em Manaus é tema de roda de conversa

Bate-Papo será nesta terça-feira no Palácio Rio Negro das 19h as 21h
LGBT-02

O Centro Cultural Palácio Rio Negro recebe nesta terça-feira (5), das 19h às 21h, a roda de conversa “Diálogos Culturais – Diagnóstico da Cultura LGBT+ em Manaus”. No encontro, o produtor cultural e artista visual Paulo Trindade fará a mediação com o público participante. A iniciativa conta com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), e integra a agenda de atividades do Programa Espaço Aberto.

A iniciativa partiu do Coletivo Difusão e do Centro Popular do Audiovisual, frente à ausência de dados e de informações para se consolidar uma proposta de mapeamento, sistematização de processos, ferramentas e territórios que apontem indicadores relevantes para comunidade LGBT, de forma a cada vez mais alcançar Políticas Públicas e valorização das atividades artísticas produzidas por essa comunidade na capital amazonense. Para Paulo Trindade, a roda de conversa ajudará a construir uma transformação sociocultural. “A Cultura possui dimensões nos campos Econômico, Social e Cidadão. É muito importante destacar que o Diagnóstico da Cultura LGBT em Manaus fortalecerá o direito à Cultura previsto em diversos marcos no âmbito de ações e diretrizes distintas na busca de uma política de cultura de paz e construção de valores que visam a promoção da diversidade humana”, assinala.

Delimitação de tema

Para delimitar o tema, o encontro vai revisitar o Plano Municipal de Cultura de Manaus, a Relatoria Final do Comitê Técnico de Cultura LGBT do Ministério da Cultura, e o relatório da 3ª Conferência Nacional de Políticas Públicas de Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.“O Amazonas é o terceiro mais violento contra LGBTs no Brasil. Em 2017 o Estado sofreu aumento de 85% nos casos de HIV/AIDS entre jovens. Há uma necessidade de se consolidar Políticas Públicas efetivas para redução de danos à comunidade LGBT+. Acreditamos que a Cultura tem sua responsabilidade com estas questões”, afirma Trindade.

A atividade é uma realização do Coletivo Difusão e Centro Popular do Audiovisual em parceria com a Casa de Acolhimento LGBT+, Manifesta LGBT+, Vlogay, Naty Veiga, Bloco Tá Boa Bonita, Coletivo O Gênero, Projeto Triplicart, Coletivo Rosa Zumbi, Rede de Negras e Negros LGBT Amazonas, Comissão de Diversidade da OAB, Gerência de Atendimento Educacional à Diversidade – Gaed/Deppe/Seduc, Gerência de Diversidade e Gênero – GDG/DPDD/Sejusc.

Útimas notícias