16 de outubro de 2017 17h33 - Atualizado em 16/10/2017 17h33

Concurso Público da Seduc ofertará 8 mil vagas para Manaus e Interior em 2018

O edital deve ser publicado em fevereiro de 2018 e a convocação no mês de novembro do ano que vem
Secretário de Educação, José Augusto Melo 1- Foto Aguilar Abecassis

Mais de 8 mil vagas serão ofertadas no Concurso Público da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade (Seduc). O certame terá edital publicado em fevereiro de 2018 e contemplará vagas para Manaus e o interior do Amazonas.

De acordo com o secretário de Educação, professor José Augusto de Melo, detalhou afirmou que o concurso vai oferecer 8,1 mil vagas, das quais 7 mil para professores. Serão 3 mil vagas para a capital e 4 mil para o interior do Estado. A previsão de convocação dos aprovados é novembro de 2018.

Além do concurso, o pagamento da quarta parcela do abono do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e a regulamentação do afastamento remunerado de professores para mestrado e doutorado foram anunciados pelo Governador do Amazonas, Amazonino Mendes. “Embora a gente tenha pouquíssimo tempo de Governo, praticamente pouco mais de uma semana, nós já estamos pensando em melhorias para os nossos professores, nossos servidores da educação. Queremos que nossos professores continuem trabalhando, na sua missão que é muito importante para nós, com muito mais entusiasmo”, disse.

A equipe técnica da Seduc já trabalha no detalhamento do edital do concurso como a definição da banca para a realização do certame. Além das 7 mil vagas para professores, haverá outras 1,1 mil para outros cargos que integram o quadro da educação. Essas vagas ainda serão detalhadas.

Remuneração para mestrado e doutorado

Além do concurso, o secretário ressaltou a medida inédita que regulamenta o afastamento remunerado dos docentes para cursarem mestrado e doutorado. “Essa é uma medida importantíssima, pois facilitará a qualificação do docente que vai poder cursar seu mestrado ou doutorado com tranquilidade. Atualmente, aqueles que se dispõem a cursar uma pós nesse nível, muitas vezes utilizam licenças por interesse particular, e ficam sem a remuneração”, ressaltou o secretário de Educação.

Com a oficialização do Programa Estadual de Desenvolvimento Acadêmico e Profissional Docente do Amazonas (Prodea) o problema acaba. O governador Amazonino Mendes determinou o envio imediato à Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) do projeto de lei que regulamenta o programa. “Faremos isso para que nossos professores sejam remunerados de forma correta, estimulando que busquem a qualificação, que é importante para melhorar a qualidade da nossa educação”, frisou o governador.

Antecipação do Fundeb

A antecipação para este mês da quarta parcela do abono do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) foi o último ponto esclarecido pelo titular da Seduc. “Essa parcela do Fundeb estava prevista para ser paga em dezembro, mas o governador Amazonino Mendes determinou a antecipação e assim faremos”, destacou o secretário José Augusto.

 A antecipação beneficia 24 mil servidores, entre professores e pedadogos. Neste ano, o Governo do Amazonas recebeu R$ 230 milhões como sobra do Fundeb, valor que está sendo dividido e repassado aos professores e pedagogos em forma de abono.

 Na divisão, os professores e pedagogos da rede estadual têm direito a receber por cada 20 horas (correspondente a uma cadeira) um total de R$ 6.700. O servidor com 40 horas têm direito a esse valor dobrado e aquele profissional com 60 horas, o triplo. Os valores foram divididos em quatro parcelas iguais. 

 

Útimas notícias