24 de junho de 2019 15h29 - Atualizado em 24/06/2019 15h29

BR-319 é debatida em Audiência Pública na Aleam

Foi sugerido que fossem criadas outras frentes representantes dos governos
11_ROBERTO-CIDADE-PV_AUDIeNCIA-BR-319-640x380

Os benefícios da BR-319 para o desenvolvimento da Amazônia foram discutidos na manhã desta segunda-feira (24), em Audiência Pública proposta pelo deputado estadual Roberto Cidade (PV), presidente da Comissão de Transporte, Trânsito e Mobilidade e também da Frente Parlamentar em Defesa da BR-319, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

Abrindo a solenidade, o deputado falou sobre as iniciativas realizadas nos últimos quatro meses, como reunião com o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), criação da Frente Parlamentar, visita ao representante do Ministério da Infraestrutura, Dino Antunes, em Brasília, quando foram apresentadas demandas relacionadas à recuperação asfáltica da BR-319.

Em abril, Roberto Cidade esteve em Manicoré (a 332 km de Manaus) onde conversou com produtores e comerciantes do município sobre a rodovia. No último dia 12, foi apresentada uma Moção de Apelo para que parte do dinheiro recuperado pela Operação Lava Jato seja empregado na recuperação da BR-319.

“Temos trabalhado de forma intensa para que finalmente esta rodovia receba a recuperação reivindicada a tanto tempo pelos amazonenses. Não podemos ficar inertes diante dessa situação que se arrasta há mais de 40 anos. A nossa expectativa é que a interligação pela rodovia entre Rondônia, Acre e Roraima gere um incremento de negócios que atenderá mais de 2 milhões de consumidores. Diante dessa possibilidade temos que unir forças com os entes estaduais, federais e organizações da sociedade civil para fazer a recuperação acontecer”, afirmou Roberto Cidade.

Participaram da Audiência Pública os deputados Fausto Jr. (PV) e Carlos Bessa (PV), Augusto Ferraz (DEM), Adjuto Afonso (PDT), Wilker Barreto (PHS) e João Luiz (PRB), além de representantes do DNIT, Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEPLANCTI), Associação dos Amigos e Defensores da BR-319, Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas (OAB-AM) e empresários do setor de transporte.

“Atualmente, o Governo do Estado está com um projeto de conclusão da rodovia que deverá ser apresentado ao Ministério do Desenvolvimento Regional para que a estrada seja incluída no Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia. O governador Wilson Lima reconhece a importância dessa rodovia para o nosso Estado e tem se empenhado para que se torne realidade”, afirmou Manoel Paiva, assessor de Planejamento da Seinfra.

De acordo com o presidente da Associação dos Amigos e Defensores da BR-319, André Marcílio, foi criado um fórum permanente de discussão junto com o Ministério Público Federal para apresentar à sociedade as justificativas e o andamento dos processos de reabertura da rodovia, por parte dos órgãos públicos. Durante a Audiência, ele lembrou do questionamento feito ao ministro de Infraestrutura sobre o problema do trecho que vai do Careiro-Castanho até o Igapó-açu que já foi licenciado e poderia estar sendo asfaltado desde o governo anterior, mas ainda não foi.

“Em 2007 existiu um acordo entre o Ibama e o Dnit, em que foi solicitado um estudo de impacto ambiental para que houvesse a reconstrução da rodovia. Em 2010 o DNIT apresentou esse estudo que não foi aceito pelo Ibama. Já estamos em 2019 e até agora não foi apresentado um novo estudo”, declarou André.

Ao fim da Audiência Pública, o deputado Roberto Cidade sugeriu que fossem criadas outras frentes constituídas por representantes dos governos federal e estadual para acompanhar as ações voltadas para a recuperação da BR-319, como o licenciamento ambiental, a pavimentação asfáltica e a pavimentação dos ramais que interligam a rodovia aos municípios e comunidades.

Útimas notícias