16 de abril de 2019 10h35 - Atualizado em 16/04/2019 10h35

Boletim epidemiológico não registra novas mortes por H1N1

Idosos estão no grupo prioritário para imunização contra o H1N1 (Marcello Casal Jr/AgênciaBrasil)
Idosos estão no grupo prioritário para imunização contra o H1N1 (Marcello Casal Jr/AgênciaBrasil)

A 22ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), divulgada nesta segunda-feira (15/04), mostra que o número de óbitos por H1N1 no Amazonas permanece nos 33 casos das edições anteriores. Dos 33 casos, 26 são em Manaus.

O Boletim mostra ainda que casos notificados de SRAG subiu 1.046  para 1.074. Desse total, 120 positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 222 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV). O documento é elaborado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS- AM).

No interior, os casos de óbitos por H1N1 também seguem sem alteração, com os três casos em Manacapuru, além de Parintins, Itacoatiara, Japurá e Urucurituba, com um caso cada. Para o Sincicial, permanecem os 20 óbitos registrados até aqui, 18 na capital, um em Borba e outro em Manacapuru.

O número de óbitos por outros vírus respiratórios também continua o da última edição: em Manaus, um óbito por Parainfluenza tipo 3 e um pelo vírus Metapneumovírus; e, no interior, um óbito por Influenza A não subtipável, registrado no município de Maués.

Segundo a atualização do boletim, dos 56 pacientes graves que evoluíram para óbitos, entre fevereiro e março de 2019, 50 deles faziam parte de grupo de risco mais suscetíveis, o que corresponde a 89%, com destaque para crianças menores de 5 anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neuropatas.

Útimas notícias