12 de janeiro de 2019 11h07 - Atualizado em 12/01/2019 11h07

Bando suspeito de tentar assaltar loteria para pagar dívida com o tráfico é preso

Polícia Civil intercepta grupo criminoso que pretendia roubar casa lotérica no município de Borba. Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM
Polícia Civil intercepta grupo criminoso que pretendia roubar casa lotérica no município de Borba. Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM

Cinco homens suspeitos de arquitetar roubo de R$ 150 mil em casa lotérica do município de Borba (a 151 quilômetros da capital) – para quitar dívidas relacionadas ao tráfico de drogas – foram presos por policiais das delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) e Interativa de Polícia de Borba, com armas e munições. As detenções ocorreram quando, segundo a polícia, a quadrilha se preparava para roubar o estabelecimento.

O ex-presidiário Gervásio Correia Lima Junior, o “Junior”, 28, apontado como líder do bando foi preso junto aos comparsas, identificados como Josiel Marques da Silva, 23, Keverson Pereira da Costa, 20, Kevin Pereira da Costa, 25, e Ronaldo Lindoso Aniseto, 20. À polícia, os cinco infratores confessaram que pretendiam roubar R$ 150 mil da casa lotérica. O grupo suspeito de roubo tentado e participação em organização criminosa foi apresentado à imprensa, nesta sexta-feira (11).

As detenções iniciaram na quinta-feira (10), conforme o titular da DERFD, Guilherme Torres, com as interceptações de Josiel, Keverson, Kevin e Ronaldo, em frente a uma residência na rua Santo Antônio, no centro de Borba. Já Gervásio, foi preso horas depois, em uma casa na rua Manoel Gomes Leal, bairro Cristo Rei, também naquele município.

Torres informa que a equipe de investigação da DERFD recebeu a informação de que uma organização criminosa envolvida em roubos ocorridos na capital saiu de Manaus, no dia 6 de janeiro deste ano, com destino a Borba, onde pretendia roubar uma casa lotérica naquela cidade.

“Os indivíduos sabiam que haveria o recebimento de uma quantia significativa de dinheiro na casa lotérica e, antes que eles chegassem ao local, as equipes realizaram a interceptação desses elementos. Instauramos um Inquérito Policial em torno do caso com o intuito de aprofundarmos a investigação e averiguarmos a participação de outras pessoas no grupo criminoso”, explicou.

O adjunto da DERFD, Demetrius Queiroz, destacou o trabalho operacional das equipes durante as investigações. “Em três dias conseguimos mapear tudo. Inicialmente, eles estavam escondidos em um sítio. Dois dias depois, eles foram para uma casa bem próxima à casa lotérica, em Borba. As equipes se anteciparam à ação dos infratores, até para preservar a integridade física dos clientes e funcionários da lotérica, bem como dos policiais, evitando qualquer tipo de confronto”, informou.

Queiroz disse, ainda, que “Junior” seria o mentor do roubo. “Tudo indica que Gervásio estava com dívidas relacionadas ao tráfico de drogas. Então, ele cooptou os comparsas para efetuar o roubo em Borba, com o intuito de pagar essa dívida”, disse.

O bando segue para o processo de audiência de custódia, no Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Francisco, Zona Sul.

Útimas notícias