1 de fevereiro de 2018 16h33 - Atualizado em 1/02/2018 16h33

Assembleia do Amazonas reabre trabalhos legislativos para 2018

A abertura contou com o discurso do Governo do Amazonas, Amazonino Mendes
(Foto: Danilo Mello/Aleam)
(Foto: Danilo Mello/Aleam)

Em Sessão Especial, no Plenário Ruy Araújo, nesta quinta-feira (1º), às 10h, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado David Almeida (PSD), reabriu os trabalhos do Poder Legislativo para o quarto ano da 18ª Legislatura. Na ocasião, o governador Amazonino Mendes (PDT) fez um breve discurso.

Ao assumir a tribuna, o presidente David Almeida avaliou que os desafios do ano de 2018 serão grandes e vão exigir muito trabalho. Almeida deixou claro em seu discurso que “aquilo que for enviado do governo para esta Casa será analisado e votado”. E exemplificou que das 14 mensagens governamentais enviadas para Aleam, no fim do ano passado, ele votou a favor de 13 delas.

Podemos divergir no campo das ideias e das opiniões, nunca no campo pessoal. O povo está cansado de ver os políticos brigando”, frisou.

Já o governador Amazonino Mendes alterou a tradição de leitura da Mensagem Governamental na íntegra – que neste ano tem 450 páginas – e fez apenas um discurso curto mencionando que o relatório traz informações de três governos – de José Melo, David Almeida e Amazonino Mendes – que sofreram com a crise econômica que atingiu todo o país.

De acordo com o governador, alguns Estados da federação foram ao abismo e outros ainda se debatem em desespero para organizar suas finanças e obedecer à Lei de Responsabilidade Fiscal. “O Amazonas não chegou a tanto, mas perdeu seus serviços, assim como a qualidade de saúde pública, enquanto a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), que deveria representar os anseios da Amazônia e sua vocação, tornou-se como outra qualquer”, disse.

Amazonino Mendes falou também da Zona Franca de Manaus (ZFM) que, de acordo com ele, hoje se encontra “castrada e amputada”, porque ao longo do tempo perdeu sua razão de ser. “Nossa economia hoje depende exclusivamente de um decreto; somos vez por outra, assolados com as investidas, nunca contidas, da voracidade empresarial paulista”, lamentou.

O ano legislativo começa com 310 projetos em tramitação na Casa, que se encontram nas comissões técnicas. São projetos oriundos do governo, do Poder Judiciário e dos próprios deputados. Em 2017 as comissões receberam para análise um total de 566 proposições, foram aprovadas 226.

Além de secretários do governo e convidados estiveram presentes na sessão o vice-governador, Bosco Saraiva; o prefeito em exercício, Marcos Rotta; o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJA), desembargador Flávio Humberto Pascarelli; o comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA), general de Exército Geraldo Mioto; o representante da Promotoria de Justiça do Amazonas, promotor de Justiça Reinaldo Alberto Nery; o representante da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador missionário André; o Comandante do 9º Distrito Naval, vice-almirante Carlos Alberto Matias; o defensor público Rafael Monteiro; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Yedo Simões e a presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE), conselheira Yara Lins.

Útimas notícias

aniversario