17 de novembro de 2020 19h20 - Atualizado em 17/11/2020 20h03

A importância dos auxiliares técnicos na busca pelos objetivos

Manaus FC e Fast Clube chegam longe nas competições nacionais de 2020
Neto Pajolla, auxiliar técnico do Manaus FC 2020. Foto: Ismael Monteiro/Ascom MFC
Neto Pajolla, auxiliar técnico do Manaus FC 2020. Foto: Ismael Monteiro/Ascom MFC

O quadro Sala 10 da Rádio Difusora do Amazonas desta terça-feira (17) aborda a atuação dos auxiliares técnicos das duas representações amazonenses nas competições nacionais, Séries C e D.

Exercer uma função de extrema confiança, exige jogo de cintura e habilidade para resolver conflitos e acalmar ânimos durante uma partida de futebol, esta é a habilidade do auxiliar técnico. Pelo futebol masculino, temos dois nomes que se destacam na atuação de planejar e avaliar o desempenho dos atletas.

Igor Oliveira, auxiliar técnico do Fast Clube 2020. Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

   Igor Oliveira, auxiliar técnico do Fast Clube 2020. Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

O responsável por analisar a avaliação de desempenho da equipe e repassar os resultados ao treinador, o auxiliar Igor Oliveira, de 31 anos, fala da relação com o treinador Tricolor, Ricardo Lecheva, sendo o segundo olhar fora das quatro linhas.

– Já existe um certo entrosamento entre mim e o Lecheva, primeira vez que estou atuando como auxiliar dele direto, mas este é o terceiro trabalho juntos. No Castanhal (PA) – 2018, Amazonas FC Série B 2019 e agora no Fast. O Lecheva é bem receptivo, sempre procurando uma nova formação um outro olhar. E eu tento sempre me esforçar pra sempre estar repassando dados a ele, como migrei da análise do desempenho, tento repassar pra ele de forma qualitativa e quantitativa as questões de possíveis mudanças ou manutenção, o que seria melhor. Então desde a formação do elenco, nós tentamos montar dentro do padrão de jogo, de uma característica de jogo proposta por ele conhecendo já trabalhos anteriores, nós pensamos assim a ideia até as peças a chegarem agora, porque muitos já estavam ali dentro do planejamento do clube, nós temos conseguido nossos objetivos, o primeiro foi a classificação, algo que o clube nunca havia conquistado. Agora, nós seguimos em direção ao acesso e se Deus quiser, o títilo da competição, disse o auxiliar Igor.

Neto Pajolla, auxiliar técnico do Manaus Futebol Clube 2020. Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Neto Pajolla, auxiliar técnico do Manaus Futebol Clube 2020. Foto: Ismael Monteiro/Reprodução Instagram

Em outra competição, com o primeiro desafio em um time de Série C, sempre focado em conquistar o resultado, o auxiliar técnico do Manaus FC, Neto Pajolla, de 34 anos, está na segunda atuação junto ao treinador Luizinho Lopes, e mantém uma relação profissional e pessoal com ele. Pajolla sabe o tamanho do desafio.

– É uma responsabilidade muito grande. Tenho uma relação fantástica com o professor Luizinho, tanto pessoal quanto profissional. A gente tá prticamente 24 horas juntos, trabalhando em conjunto. Tudo é discutido, tudo é analisado, procuro dar o máximo de suporte, o máximo de auxílio pra ele. Procuro ajudar na montagem das sessões de treinamentos. A gente analisa os adversários, analisa os nossos treinos para que possam ser feitas correções, ou também potencializar aspectos positivos dentro do nosso sistema de jogo. Então, é uma relação muito boa e está sendo muito produtiva. A gente teve um ano fantástico em Minas Gerais, estamos repetindo a dose aqui, não é fácil, não é uma competição fácil. Mas aos pouquinhos estamos conseguindo buscar os nossos objetivos. Sabíamos da complexidade da competição, mas eu estou sempre à disposição e sempre muito empenhado para que a gente possa ta ajudando o professor Luizinho a ter as melhores decisões, as melhores escolhas para que o resultado venha acontecer. Durante a semana, a gente auxilia muito ele na elaboração e execução de treinamentos, o grupo é um grupo muito bom, que vem dando resposta, vem absorvendo muito bem o nosso trabalho e a gente está muito feliz trabalhando no Manaus FC, disse Neto Pajolla.

O comentarista da Rádio Disufora do Amazonas, Zezinho Bastos reforça que o trabalho desses profissionais, alem de ser de extrema confiança, consiste em acompanhar o desempenho dos jogadores nos trabalhos de preparação física e treinos técnicos, sendo o reforço da segunda voz de comando, o segundo olhar dentro de campo.

Útimas notícias